Nas redes sociais dos empresários bolsonaristas neste início de semana, os comentários sobre a eleição de Gustavo Petro na Colômbia, primeiro presidente de esquerda no país, trouxeram o discurso do medo de que um resultado semelhante aconteça no Brasil em outubro.

Luciano Hang, dono da Havan, usou a fórmula da ameaça de que o país pode virar uma Venezuela, argumentação recorrente entre os apoiadores de Bolsonaro.

“Este ano temos as eleições aqui no Brasil, vamos colocar a mão na consciência e escolher com bom senso. Afinal, o destino do país quem decide somos nós. Que futuro você quer para os seus filhos? Desordem, retrocesso, desemprego, caos? A esquerda é tudo igual”, disse.

O ex-secretário de Desestatização do governo Bolsonaro e fundador da Localiza, Salim Mattar, disse que a Colômbia estava indo bem, mas “se rendeu ao populismo de esquerda”. O vizinho brasileiro, mesmo com projeção de crescimento do PIB, vive inflação de 9% e desemprego acima de 11%.

Winston Ling, conhecido como o homem que apresentou Paulo Guedes ao presidente, sugeriu “apertar os cintos” na América do Sul porque “é tempo de vacas magras“.

Otávio Fakhoury, presidente do PTB em São Paulo, não menciona diretamente as eleições colombianas, mas publicou nesta terça (21) um vídeo em que o guru bolsonarista Olavo de Carvalho fala em planos de guerilhas comunistas em cargos políticos na região.

Joana Cunha com Paulo Ricardo Martins e Gilmara Santos